Semana Mundial do Brincar
Brincar de corpo e alma.
DE 20 A 28 DE MAIO de 2018

Semana Mundial do Brincar cresce pelo Brasil, extrapola fronteiras e chega à América Latina

6 de julho de 2018

Parece até repetitivo ano após ano relatar quebras de recordes quando o assunto é Semana Mundial do Brincar (SMB). Mas, com cada vez mais países, estados e organizações aderindo à ideia do brincar livre, mais crianças participam de iniciativas e atividades para celebrar o tempo da infância e de criar espontaneamente.

Assim como em 2017, 2018 bateu o recorde de inscrições! Foram 700 entradas de atividades no site, vindas de 400 organizações diferentes, espalhadas por estados de Norte a Sul do país. Tudo isso fez com que a semana do dia 20 a 28 de maio tivesse uma agenda lotada, espalhando crianças, jovens, adolescentes, universitários, pais, mães, avôs e avós desde a praia até o interior.

Mas, esse ano a Semana Mundial do Brincar não se contentou em ficar somente no território nacional. Além da participação massiva do Brasil, uma novidade da edição foi a realização da Semana Mundial de Jugar (SMJ) em países da América Latina. Para isso, a Aliança pela Infância contou com o apoio e a articulação da terre des hommes Alemania (tdh-A, braço latino-americano da associação que já é parceira da Aliança Pela Infância no Brasil) e da Volkswagen da América Latina.

Além do Brasil, outros onze países registraram atividades que defendem um dos direitos primordiais da infância. Pode adicionar na conta: México, Guatemala, El Salvador, Nicarágua, Colômbia, Peru, Bolívia, Argentina e Chile!

O tema de 2018

Nessa oitava edição, todos juntaram-se para promover ações e reflexões sobre o tema “Brincar de Corpo e Alma”. Enquanto que em 2016 e 2017 os temas voltaram-se à presença e interação da criança no mundo, a proposta de 2018 foi dar atenção ao corpo e aos sentidos utilizados na prática do brincar livre.

Essa chamada para que a criança esteja inteira na brincadeira quis mostrar que, para experimentar as possibilidades, não é preciso de inúmeros brinquedos e equipamentos. Estar na natureza já dá conta do recado: dessa forma, é possível interagir com pedrinhas e folhas, sentir a textura do chão ao brincar descalça, pular corda, correr, escalar, subir em árvores, batucar no corpo, cantar, imitar bichos e lugares, e muitos outros cenários.  

Atividades e audiência

O leque de propostas de brincadeiras, ações, atividades e interações foi muito grande. Entre apresentações circenses, teatro, brincadeiras de roda, oficinas de malabarismos, de bonecas, de peteca, de dança e movimento, destacaram-se o resgate de brincadeiras como pião, bolinha de gude, as atividades com brinquedos não estruturados, como tecidos, entre outras.

Essa variedade gerou números grandiosos. No instagram, foram contabilizadas mais de 1.700 menções de hashtags como #smb2018, #diamundialdobrincar, #semanamundialdobrincar2018 e #aliancapelainfanca. O Facebook também foi movimentado, com mais de 700 hashtags. Além do destaque nas redes sociais, a mídia tradicional publicou 140 matérias sobre o tema.

O site da Aliança pela Infância, por sua vez, foi tomado por uma enxurrada de artigos, notas e matérias sobre ações do brincar livre. Foram 29 produções publicadas na versão brasileira da Semana Mundial do Brincar e 34 na versão latino-americana da Semana Mundial do Brincar. Tudo isso gerou picos de 1600 acessos ao site diariamente, com navegação de mais de 23 mil usuários.

Depoimentos

Com o fim da SMB 2018, é hora de fazer balanços e reunir dados. Mas, para isso, a Aliança pela Infância precisa de toda a ajuda possível. Se você realizou uma atividade, escreva seu relato! É muito importante saber em quais territórios a ideia do brincar livre já chegou. O formulário é simples e rápido.

Confira alguns depoimentos de pessoas que realizaram ou participaram de atividades:

 

CAMPINAS – SP

Christiane Borges de Carvalho do Prado

“Nosso objetivo com a realização da Semana Mundial do Brincar foi evidenciar a delícia de brincar e sorrir. Convidamos os pais para participarem desse momento único de participar de atividades nas dependências da escola do filho. Percebemos o resgate de brincadeiras que não vão sair de moda nunca, pois estão na memória da infância dos pais. As famílias participaram da roda da conversa, cantando e interagindo na sala, seguida do café da manhã e das brincadeiras. Foi um sucesso! Eles amaram, ficaram emocionados e gratos pela creche oportunizar esse momento. As atividades foram realizadas na quadra, cada turma organizou de uma forma. Houve circuitos com variedade de obstáculos, corrida do saco, pneu, bola, cabana, tecidos pendurados, dança, bambolê, música e muito mais”.

 

AMARGOSA – BA

Rafaela Sousa Guimarães

“Realizar as atividades foi uma verdadeira emoção. Ver as crianças abandonando os carrinhos de mão para brincar e o sorriso no rosto de cada uma foi uma felicidade sem igual. Tivemos a sensação de que fazemos o que é certo, dando a oportunidade de crianças da classe popular colocarem em prática seu direito de brincar! Outra sensação muito gratificante foi levar as brincadeiras e os jogos tradicionais para os idosos. Trazer o período da infância para a velhice foi uma sensação misturada a muitas emoções”.

 

VITÓRIA – ES

CaJun – Caminhando Juntos (serviço de convivência e fortalecimento de vínculos comunitários e familiares da Prefeitura de Vitória em parceria com o Instituto Gênesis)

“O CaJun embarcou de cabeça durante toda a Semana Mundial do Brincar, com atividades nos turnos da manhã e da tarde, nas 13 unidades de atendimento que ficam nos bairros: Andorinhas, Bela Vista, Bonfim, Caratoira, Consolação, Engenharia/Itararé, Jaburu, Morro do Quadro, Nova Palestina, Praia do Suá, Romão, Santo André e Sólon Borges. As ações tiveram participação de aproximadamente 1.500 crianças e adolescentes com idade entre seis e 15 anos de idade. O ponto mais esperado da programação foram os quatro passeios realizados ao Parque Botânico Vale, no bairro Jardim Camburi. As atividades foram recheadas de brincadeiras diversas, desde as mais simples, como brincar de roda, pular amarelinha e jogar peteca, até as mais radicais, como sleek line. Houve também gincanas e piquenique. O objetivo das ações foi realizar uma semana inteira de atividades lúdicas e recreativas, não deixando de serem educativas, além de resgatar as práticas tradicionais de brincar sem a necessidade do uso de mídias eletrônicas, apostando na conexão consigo mesmo, com outro e com a natureza, para enfim podermos aprender a Brincar de Corpo e Alma”.

 

GUARATINGUETÁ – SP

Miriam Funashina

“Foi um dia de proporcionar aos alunos momentos de convivência saudável, amiga, criativa e construtiva, pois através da brincadeira a criança atribui sentido ao seu mundo e se apropria de conhecimentos que a ajudarão a agir sobre o meio em que ela se encontra. O ato de brincar traz felicidade e momentos felizes são inesquecíveis e geram conhecimentos.

Pais e filhos brincaram juntos. Tudo se torna mágico onde o amor é o mais importante! Alunos, pais e responsáveis, professores da Educação Infantil,  Ensino Fundamental I e PEB II de Educação Física, Equipe Gestora e Funcionários participaram das atividades, com o objetivo de desenvolver habilidade e criatividade no momento de fabricar os brinquedos; trabalhar em equipe num clima de colaboração e amizade; envolver a família como parte facilitadora e prazerosa do trabalho; conhecer e se envolver com obras de artes de artistas consagrados e promover o brincar como forma de aprimorar as relações existentes no meio escolar e familiar”.

 

CUIABÁ – MT

Haluares Educação Infantil

“Solicitamos aos pais a doação de panelas, lençóis, colheres e outros utensílios. Fomos aos Parque ecológico Mãe Bonifácia, que fica próximo à escola. Caminhamos duas quadras com as crianças, orientando sobre o trânsito e nos divertindo muito. No parque, deixamos acontecer brincadeiras livres, de acordo com o despertar de cada criança. Surgiram escaladas em árvores, construção de casas com galhos e folhas, construção de fogueiras, observação de fenômenos botânicos, assim como de formigueiros e outros. Também fizemos algumas brincadeiras dirigidas com cordas e tecidos. Concluímos com um delicioso picnic. Na Escola, trouxemos algumas vivências diferentes do nosso ritmo semanal. Foi uma semana harmoniosa, alegre e que deixará belas lembranças aos nossos pequenos”.

 

MATA DE SÃO JOÃO – BA

Núcleo de Sapiranga

“A atividade Brincando no Quintal da Escola aconteceu na Escola Municipal Dep. Isaac Marambaia, no Barro Branco, Litoral Norte de Mata de São João, na Bahia e contou com a participação de alunos da Educação Infantil, professores e uma vovó, que costurou roupas de boneca. Cem crianças comemoraram a Semana do Brincar, que aconteceu no quintal da escola. O Núcleo Sapiranga levou brinquedos, cordas, piões e outros. O objetivo: deixar nas  as crianças brincarem. E foi o que aconteceu de forma simples e alegre. Elas pularam corda, subiram nas árvores, brincaram de boneca, fizeram o que sabem fazer: brincar. Tanto que contagiaram professores, diretora e funcionários! De repente, um quintal que antes parecia um espaço desabitado tornou-se um lugar mágico, mostrando que não só as crianças, mas os adultos também brincam de Corpo e Alma! Foi uma ação muito rica. Pais e o líder da Comunidade vieram elogiar e saber mais sobre a Aliança pela Infância. Os professores se doaram de verdade”.

 

*A imagem utilizada nesta matéria pertence ao Sesc Campo Limpo.

Acompanhe nas redes
-Aliança pela Infância - 55 11 3578-5001 - alianca@aliancapelainfancia.org.br