Inspirações e experiências

Artigos

Artigo: “Brincar é coisa séria” , por Altino Yoichi Ito

14 de Abril de 2016

Publicado em 18 de maio de 2015

Por Sr. Altino, membro do conselho deliberativo da Aliança pela infância, químico de formação, empreendedor e empresário, dono da loja Trenzinho de brinquedos educativos, membro da ABRINE e brincante.

O brincar, ao contrário do que muitas pessoas pensam, não é supérfluo ou perda de tempo. Essa visão equivocada tem levado escolas a reduzirem horário de recreio, praças a serem abandonadas sem nenhum atrativo de lazer, crianças sendo submetidas a agendas de programações cansativas e desmotivadoras, muitas horas passivamente em frente da TV, ou isoladas na frente de celulares.

Três afirmações de Einstein nos levam a refletir:

1- “A imaginação deve ser tão importante quanto o conhecimento”.
2- “A única fonte de conhecimento é a experiência”
3-  “No meio das dificuldades encontra-se a oportunidade”

Seja qual for o contexto em que tenha feito essas afirmações, elas se encaixam como uma luva no livre brincar.

Quando a criança brinca livremente sem imposições ou interferências ela se apodera da imaginação, está no mais legítimo exercício de liberdade. Isso pode ocorrer desde a tenra idade quando descobre a brincadeira simbólica ou nas brincadeiras de “faz de conta” ou ainda em devaneios infindáveis. Esse brincar é a fonte e a incentivadora da CRIATIVIDADE.

Outra faceta do livre brincar é a oportunidade de experimentar, desde pequeno quando toma a iniciativa de pegar e apalpar e também assumir o engatinhar pôr-se de pé, andar. Mais adiante, encarar o quarto escuro, subir em árvores, enfiar a cara na água são atitudes que requerem vários graus de experimentação e embora o adulto não perceba envolvem atitudes de coragem quando a iniciativa é da criança.

Enquanto brinca livremente a criança exercita a imaginação e a criatividade. Ao brincar com outras crianças, elas aprendem a se relacionar. Mas frequentemente se envolve no experimentar, e aplicar com frequência os processos de ensaio e erro, e deve ser incentivado a desenvolver tolerância e a extrair da experiência as bases da evolução. Aí está a sementinha da resiliência. Portanto, Einstein na sabedoria de cientista nos aponta que é preciso brincar para ser criativo, corajoso e resiliente.

 

Acompanhe nas redes
-Aliança pela Infância - 55 11 3578-5001 - alianca@aliancapelainfancia.org.br