1º Grupo de Inspirações e Experiências discute o aprender encantado

22 de Março de 2017

Aliança pela Infância e Mamusca promovem série de encontros para debater o ABCD Encantado da Infância; confira o relato do primeiro evento.

IMG-20170306-WA0015(1)Foi dada a largada. No último dia 6 de março a Aliança pela Infância e a Mamusca deram início a uma parceria que pretende espalhar saberes e reflexões sobre o cuidado com as crianças e o trabalho no campo da infância. Trata-se do Grupo de Inspirações e Experiências, ação de formação que propõe um diálogo sobre o ABCD Encantado da Infância em suas ações mais essenciais: aprender, brincar, comer e dormir.

O primeiro encontro reuniu pesquisadores e profissionais que atuam no campo da educação para debater a primeira letra do ABCD: o Aprender. Participaram do evento cerca de 30 pessoas comprometidas em provocar, dialogar, trocar ideias e refletir sua própria atuação no cuidado e na educação das crianças. A proposta do Grupo de Inspirações e Experiências (GIE) de forma alguma é esgotar qualquer debate ou apresentar conceitos fechados e teorias prontas. Trata-se de um espaço livre de construção coletiva.

IMG-20170306-WA0014(1)A moderação do evento ficou por conta de Paula Saretta, psicóloga, doutora em Educação e atual coordenadora pedagógica do Mamusca. A Aliança pela Infância esteve representada por Letícia Zero, coordenadora da secretaria executiva, e pela conselheira Rose Crepaldi, pedadoga com doutorado em Educação.

A primeira atividade do projeto teve como desafio inspirar. Para tal, Paula levou uma série de reflexões sobre o aprender na primeira infância e elaborou conexões entre a prática no dia a dia das escolas e instituições de cuidado com o que orienta as políticas públicas vigentes. O diálogo aconteceu livremente (confira os destaques abaixo) e a proposta é que o grupo se reúna novamente no dia 3 de abril para debater experiências do campo.

Ideias que inspiram e provocam reflexões

Confira alguns destaques que pontuarem o debate no primeiro encontro:

Adultocentrismo

A palavra não é muito comum, mas sua prática parece consolidada na atual vida cotidiana. Em linhas gerais, significa uma forma de fazer, de atuar, de pensar as relações – inclusive aquelas com as crianças – focadas no universo adulto. Por que o adulto pode dizer o que a criança deve ou não sentir em determinada situação? “Engole o choro”, “Não fique triste”, “Anime-se”, entre outras, são frases comuns no dia a dia das famílias e de muitas escolas. Cabe então a questão: como respeitar e desenvolver o protagonismo da criança?

Rituais de passagem

É comum observarmos o fechamento de ciclos na infância marcados por rituais que são copiados do mundo adulto. Quem nunca viu uma formatura da Educação Infantil com beca, capelo, diploma e discurso sobre a construção do futuro. Será que estamos fazendo certo? Quais outros rituais podem ser pensados para marcar a passagem de ciclos sem usar como parâmetro os modelos do mundo adulto?

Aprender X Brincar

As relações entre estes dois atos essenciais da criança começam a se fragilizar conforme a criança cresce. A virada da Educação Infantil para o Ensino Fundamental parece ser simbólica. Em pesquisa com crianças (2004), Paula Saretta perguntou a crianças que estavam terminando a Educação Infantil como elas imaginavam o 1º ano do Ensino Fundamental. As respostam soaram pouco animadoras: “Um lugar onde não se pode conversar”; “É a série onde não tem lápis de cor”; “É quando só podemos usar caneta na sala” (textos adaptados). Parece que as crianças já antecipam que vão entrar em um período de muitas regras e pouca diversão.

Consumismo infantil

De acordo com a pesquisa do canal infantil Nickelodeon (2011), o Brasil é o país onde as crianças de 2 a 3 anos mais ficam em frente à televisão por dia. Com isso, estão extremamente expostas aos apelos da publicidade e podem começar a associar afeto apenas ao ato de consumir, conectar a ideia de felicidade ao ato de comprar. Quais os desafios do educador nesse sentido?

Ambiente que acolhe e estimula

O espaço educativo é fundamental para o desenvolvimento da criança. Estamos oferecendo espaços que garantam segurança para a criança explorar o ambiente, seus sentimentos e as relações ali presentes?

Razão x Emoção

Uma máxima da nossa sociedade é que estes dois campos coexistem separadamente – ou desenvolvemos um, ou outro. Contudo, diversas áreas do conhecimento têm elaborado que razão e emoção são mais conectadas do que imaginamos. Paula Saretta defende que não é possível aprender em sua plenitude em um ambiente que oferece medo, provoca angústia, gera insegurança. Ou seja, o desenvolvimento intelectual está profundamente conectado com questões de ordem afetivo-emocionais.

Referências

Acesse os links de alguns estudos, publicações e materiais usados no encontro:

  • Pesquisa de mestrado Paula Saretta – SARETTA, P. A um passo do Ensino Fundamental: dando voz às crianças de Educação Infantil. Dissertação Mestrado. Puc-Campinas – SP, 2004.

Agenda

Confira as datas dos próximos encontros

03/abril: Aprender – 2º encontro

08/maio: Brincar – 1º encontro

05/junho: Brincar – 2º encontro

07/agosto: Comer – 1º encontro

04/setembro: Comer – 2º encontro

02/outubro: Dormir – 1º encontro

06/novembro: Dormir  – 2º encontro

04/dezembro: encerramento e encaminhamentos

A participação no segundo encontro do Aprender, dia 03 de abril, é livre para quem estava inscrito e participou do dia 06 de março.

Para os próximos seguintes abriremos novas inscrições para cada tema – Brincar, Comer e do Dormir.

Sobre os idealizadores

Aliança pela Infância – A Aliança pela Infância é um movimento pelo respeito à essência da criança e ao tempo da infância. A organização atua para inspirar e oferecer experiências, por meio de produção e disseminação de conhecimentos, compartilhamento de saberes e por vivências significativas que valorizem o ABCD da Infância como base de uma vida plena e cheia de encantamento. Para isso, atua em rede, com seus núcleos, com pessoas interessadas e com a sociedade civil organizada. Há sete anos, promove no Brasil a Semana Mundial do Brincar, realizada sempre na última semana do mês de maio com o objetivo de difundir a importância do brincar.

Mamusca – Espaço de convivência familiar em São Paulo, cujos pilares de atuação são a conexão entre as pessoas, a livre expressão e o encantamento que sustentam todas as suas ações. Mamusca é um lugar feito para grandes, pequenos e pequeninos passarem bons momentos juntos. Para brincar livre pelo Espaço, para ouvir e ler uma história, para vivências no Ateliê, etc. Mamusca funciona com programas especiais para famílias e crianças de 0 a 6 anos.

Informações: comunicação@aliancapelainfancia.org.br

 

Acompanhe nas redes
-Aliança pela Infância - 55 11 3578-5001 - alianca@aliancapelainfancia.org.br